O que João Doria e um pastel me ensinaram sobre hipocrisia [sextaFilosofal]

O tempo de leitura desse artigo é de 3 minutos.

algumas semanas atrás, elaborei a respeito de como a mente pinta um quadro ilusório sobre uma realidade que não existe.

essa regra vale também para pessoas: à partir dos 0.0001% que você conhece de alguém, a mente “completa” o resto, criando uma ilusão sobre quem aquela pessoa realmente é. (calma, vou explicar melhor mais à frente)

é uma grande hipocrisia, não é mesmo?

se mal conseguimos nos conhecer, como podemos ter a audácia de pintar esse quadro sobre a personalidade de alguém?

hoje quero ilustrar uma situação cômica em que eu mesmo quebrei a cara por ter deixado minha mente pintar um desses quadros/ estereótipos.

grande parte de vocês leitores deve lembrar-se da foto de João Doria comendo pastel, até então candidato a prefeito de SP, em 2016.


João Doria curtindo seu pastel.

eu mesmo, sendo eleitor de São Paulo, sem nunca o ter conhecido (o que o conhecia era apenas a opinião de terceiros em reportagens), já pintei um quadro sobre ele na minha mente:

“aaaa, olha só, que pomposinho, olha que cara de nojo que ele faz ao comer um pastel, tá lá só de fachada…. e blá blá blá.”

ou seja:
quanto eu realmente conhecia de João Doria: 0,0000000000001%
quanto a minha mente construiu sobre quem ele é: 99,9999999999999%

e assim esse quadro ficou lá, gerando um certo preconceito meu em relação à ele.

alguns meses depois, quando estava viajando para o Sul do Brasil de carro, parei em uma barraquinha simples de estrada para comer um caldo de cana e pastel.

o local, no meio da floresta (uma estrada linda chamada Estrada da Graciosa), a companhia perfeita da minha companheira de jornada, o Sol, canto dos passarinhos, e claro, o sabor inigualável de um pastelzinho caseiro com muito glúten e lactose junto a um caldo de cana, tudo isso contribuiu para que fosse uma das melhores experiências que já tive.

minha namorada, muito espertinha, tirou uma foto minha comendo o “melhor pastel da minha vida” e me mostrou, falando:

“olha aqui, você comendo o melhor pastel da sua vida!
seu hipocritazinho, quero ver você falar do João Doria agora.
#somostodosDoria”.

juro solenemente para você, car@ leitor@: esse foi o melhor pastel que já comi na minha vida.

ao me perceber hipócrita, mais uma vez quebrei a cara.

mais uma vez, refém de uma imagem irreal feita pela mente.

refém de todos os preconceitos e julgamentos aos quais fui exposto durante toda a minha vida, e que vivem aqui, dentro de mim.

pouco tempo depois, fui introduzido à música de uma pernambucana, a Flaira Ferro, que explica elucida sobre essa situação e como o “mal” existe dentro de nós. Vale ouvir para refletir:


https://www.youtube.com/watch?v=y_vtsHjeogA

< descobri que sim, me reconhecer hipócrita é o primeiro passo para que eu seja uma pessoa melhor e aprenda com os meus próprios erros (a minha própria hipocrisia). />

para que eu consiga me desenvolver em corpo, mente e alma à cada dia.

eu sou hipócrita (estou aceitando….), e você?


// frase para você filosofar

#pt
Ninguém pode competir com você em ser você.
A maior parte da vida é uma busca por quem e o que precisam mais de você.” – Naval Ravikant

#en
“No one can compete with you on being you.
Most of life is a search for who and what needs you the most.”

– Naval Ravikant


// voltamos! hacklife cast #13 | Miguel Nicolelis

o que acontece quando unimos o coração à tecnologia? <3

de que adianta sermos seres capazes de desenvolver tecnologias exponenciais se estamos tão presos dentro de nossos egos e nossa mente?

qual o real legado que queremos deixar?

se essas são questões que também afligem você, você vai adorar ouvir Miguel Nicolelis discorrendo sobre o tema.

vou confessar que fiquei muito surpreso com a visão do professor Miguel a respeito do futuro, de como estamos lidando com consciência, mente e cérebro.
quer se surpreender também? você já conferiu?

< clique aqui para escutar ou assistir AGORA />


// se quiser continuar no mergulho das reflexões: 

o H4ck Thinking, é o primeiro passo para você começar a entender sua mente e seus pensamentos e como eles nos limitam de seguir o fluxo da vida.

gravei um vídeo com muito carinho que esclarece todas as possíveis dúvidas que você possa ter.

clique aqui ou na imagem abaixo para assistir:


o que você achou dessa edição da Sexta Filosofal?

 

Renato Stefani

Renato Stefani

apaixonado pelo desenvolvimento pleno e integral do ser humano, em busca do equilibrio entre corpo, mente e alma, aliando desenvolvimento tecnólogico ao despertar da consciência.
isso define quem eu sou.

o que eu faço?
sou o fundador do Hack Life,
instrutor de Yoga certificado pelaInternational Sivananda Yoga Vedanta Centre, especialista em futurismo e tecnologias exponenciais pela Singularity University.
Renato Stefani

Gostou do texto? Vamos continuar a discussão, criar nossa comunidade viva de hackers da própria vida. Deixe seu comentário!